Fale conosco:

(47) 3027-1183

Blog

Começam as negociações da Campanha Salarial

Começam as negociações da Campanha Salarial

A primeira rodada de negociação da campanha salarial com o Sindicato patronal, não foi muito diferente das outras. Como já é de costume, os empregadores apresentaram as suas dificuldades, dando ênfase à situação econômica atual.

Esta justificativa dos empregadores não é válida, pois temos certeza de que, no próximo ano, o argumento não será diferente. É importante lembrarmos que em 2014 houveram muitas contratações. E como todos sabem, nenhum empregador contrata trabalhadores, se não está produzindo.

Um ponto positivo, apontado pelo presidente da entidade, Evangelista dos Santos é com relação ao diálogo entre as entidades. “Apesar dos argumentos, estamos conseguindo conversar e acreditamos que será possível fazer uma boa negociação, já que, temos o compromisso e a responsabilidade de, todos os anos na data base, chegarmos a um acordo.

Uma categoria sem convenção coletiva assinada, não representa sua organização. O Sindicato dos Mecânicos tem como meta esgotar todas as possibilidades para chegar a um acordo. Acreditamos que não será preciso uma intervenção judicial para fecharmos as negociações.

No dia 23 de março aconteceu a primeira reunião com o Sindicato patronal de São Bento do Sul. Em Joinville foi na última quarta-feira (25/03) com o patronal da Indústria. Estamos aguardando uma definição de agenda com o Sindicato da Retífica de Joinville, e esperamos que o encontro aconteça na próxima semana. Uma segunda rodada de negociação está marcada para o dia 30/03 (segunda-feira), em São Bento, e em Joinville, no dia 01/04 (terça-feira).

Pauta de Reivindicações da Campanha Salarial 2015/2016

Joinville

Com relação ao reajuste salarial, a proposta é que a partir de 1º de abril de 2015, os salários de todos os integrantes da categoria profissional das Industrias e Oficinas Mecânicas de Joinville e Região serão reajustados pelo índice de 100% do INPC mais 5% de ganho real. O piso salarial proposto, a partir da contratação, é de R$1.400,00.

Foram pautadas também, cláusulas com relação a horas extras, adicional noturno, licença maternidade, auxílio creche, abono viagem, atestados médicos e pré aposentadoria.

Referente às horas extras, a reivindicação é de que sejam pagas com o adicional de 100%, se realizadas de segunda-feira a sábado e dias ponte compensados, e com 150% de adicional em relação à hora normal, quando trabalhadas nos domingos e feriados. Sobre adicional noturno, a proposta é que seja de 30%.

Outro assunto pautado, é sobre a prorrogação da licença maternidade de 120 dias para 180 dias, sendo todo período remunerado e sem nenhum tipo de prejuízo salarial, inclusive nas férias. Lembrando que, algumas empresas da categoria já prorrogaram a licença para 180 dias.

Referente à auxilio creche, a reivindicação é para que a empresa pague a seus funcionários, que tiverem filhos de até 5 anos de idade, um auxílio creche no valor de 50% do salário mínimo vigente.

Na cláusula referente a pré-aposentadoria, a pauta sugerida é para o trabalhador que faltar por este motivo especifico, e que os dias sejam abonados.

Outra reivindicação é referente ao abono de viagem, para o trabalhador que executar qualquer tipo de serviço em outra empresa, dentro ou fora do munícipio, que este seja remunerado com acréscimo de 25% no seu salário nominal.

A última, e não menos importante, é com relação aos atestados médicos, considerando como atestado médico e aceito pelas empresas o comprovante médico de acompanhamento dos pais aos seus filhos até 18 (dezoito) anos, quando em consulta médica ou internamento hospitalar, não sendo descontado o descanso semanal remunerado.

São Bento do Sul

As propostas referentes à reajuste salarial e piso são as mesmas de Joinville, reajuste pelo índice de 100% do INPC mais 5% de ganho real e piso salarial de R$1.400,00.

Uma das reivindicações é referente à redução da Jornada de Trabalho, a ideia é reduzir gradativamente a jornada de trabalho 1 (uma) hora por ano, até atingir 40 horas semanais, sem prejuízo salarial.

Sobre dispensa do aviso prévio, a proposta é que nos casos de demissão por parte do empregado, quando o mesmo pede a demissão e sai imediato, sendo comprovada a contratação na mesma categoria, o Aviso Prévio não será descontado de sua rescisão.

Já nos casos de demissão sem justa causa, o aviso prévio será sempre indenizado e aplicado conforme a Lei 12506 de 13 de Outubro de 2011.

Outro assunto pautado é sobre abono de férias, a proposta é que todos os trabalhadores da categoria tenham direito a uma tolerância de 1 (uma) hora de atraso durante o mês trabalhado, sem que isso lhes traga prejuízo salarial.

As pautas de reivindicações já foram entregues ao Sindicato Patronal, e assim que forem marcadas as reuniões de negociação, publicaremos mais informações.

Compartilhar

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.

2 − 1 =