Fale conosco:

(47) 3027-1183

Blog

Crise se agrava na Metalúrgica Duque, que demite 200 funcionários

Crise se agrava na Metalúrgica Duque, que demite 200 funcionários

Os problemas financeiros da Metalúrgica Duque, em Joinville, estão se tornando cada vez mais evidentes.

No início desta semana, a empresa anunciou a demissão de 200 funcionários, a maioria deles da área de produção. Este número representa 20% dos 1.000 empregados da Duque. Nesta terça (15) foram feitas homologações das rescisões de aproximadamente 50 funcionários. Mas de acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias e Oficinas Mecânicas de Joinville e Região, Evangelista dos Santos, o pagamento das rescisões será parcelado, devido à dificuldade financeira da empresa.

Até a tarde desta terça, a Duque não havia pago a totalidade dos salários dos funcionários, referentes a setembro. No dia 4, a empresa depositou 42% dos vencimentos nas contas dos trabalhadores, e mais nada foi pago desde então.

Este foi o motivo para que os funcionários da produção cruzassem os braços e paralisassem a produção, desde a segunda passada (7). Na quinta, a empresa mandou os trabalhadores para casa, prometendo o pagamento do restante dos salários até terça – o que não ocorreu. “Houve a promessa e os empregados ainda estão aguardando, em casa, sem trabalhar”, afirmou Santos.

O sindicato já está convocando todos os trabalhadores da Duque para uma assembleia em frente à empresa, nesta quinta, a partir das 8h30, caso os salários não sejam pagos até esta data. “Neste momento, prestaremos orientações para os funcionários quanto às medidas jurídicas que podem ser tomadas em relação ao caso”, justificou Santos. Após a assembleia, haverá uma caminhada para caracterizar um ato de protesto. “Todos devem participar, inclusive, os trabalhadores que foram demitidos e estão sem receber”, convoca ele.

Outro problema enfrentado pelos funcionários da empresa é relacionado ao FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço). Segundo Santos, a empresa não deposita os valores do encargo trabalhista há mais de um ano. “Agora complica para quem foi demitido e não tem este valor para sacar do Fundo. Alguns funcionários que foram contratados depois de abril de 2012, não tem nenhum valor a ser retirado”, comentou. A reportagem do Notícias do Dia tentou entrar em contato com a direção da Metalúrgica Duque, mas não houve retorno.

Fonte: Notícias do Dia

Compartilhar

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.

11 + 18 =