Fale conosco:

(47) 3027-1183

Blog

Reduzir a jornada de trabalho é melhorar a vida dos trabalhadores

Reduzir a jornada de trabalho é melhorar a vida dos trabalhadores

CUT-SC participou do lançamento da Campanha Pró 40 horas, que aconteceu dia 05 de junho no auditório Nereu Ramos da Câmara dos Deputados, em Brasília

E se o trabalhador tivesse mais tempo para ficar com a família, estudar ou até descansar? É o que está prevendo o Projeto de Lei número 4.653, em discussão na Câmara dos Deputados desde 1995, a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) 231/95 está há quase cinco anos em condições de ir em primeiro turno para o Plenário mas ainda não foi votada, trata de um ponto importante para os trabalhadores do Brasil, a redução da jornada de trabalho de 44 para 40 horas semanais.

Nos últimos anos, o trabalhador tem sofrido com as grandes pressões do mundo do trabalho, são várias cobranças de faturamento, cumprimento de metas, padrões de qualidade, etc. Mas, além de toda pressão no serviço, os trabalhadores têm perdido grande parte do seu tempo no deslocamento até a empresa e muitos tem feito tripla jornada, tentando conciliar o trabalho com os estudos, sobrando pouco ou quase nada de tempo para descansar.

O reflexo desta exaustiva jornada dos trabalhadores brasileiros está refletindo no aumento do número de doenças ocasionadas pelo ambiente de trabalho, sejam elas doenças psíquicas (depressão, consumo de drogas etc) ou até acidentes de trabalho. “A intensificação do mundo do trabalho exige a adequação das leis, não se trata só em reduzir a jornada de trabalho, mas em melhorar a vida de milhões de brasileiros”, destaca Sandro Eduardo Sardá, Procurador do Trabalho e um dos organizadores da Campanha Pró 40 Horas.

Em 1943, limitou-se a jornada em 48 horas semanais. No início de 1984, iniciou-se uma grande luta dos metalúrgicos pela redução da jornada de trabalho, cujo sucesso fica evidente na promulgação da Constituição Federal de 1988, que baixou de 48 para 44 horas semanais. “A redução da jornada de trabalho é uma pauta histórica para à CUT. Já estamos com 23 anos sem redução, queremos avançar nessa reivindicação pois temos clareza que isso trará muitos benefícios aos trabalhadores”, destaca Neudi Giachini, comerciário de Xanxerê e presidente da CUT-SC que participou da atividade em Brasília.

De acordo com o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos – DIEESE, mais de 3,2 milhões de empregos seriam criados com a redução da jornada para 40 horas, isso seria de grande impacto para a economia brasileiro e ao contrário do que alguns empresários que não são favoráveis ao projeto declaram, a redução da jornada não causaria a falência de nenhuma empresa. “Desde 1988 até 2014, com a redução de 4 horas na jornada de trabalho o custo das empresas com as folhas de pagamento aumentou 1,5% e o lucro das empresas subiu 113%, provando assim que a redução da jornada não traz prejuízo para ninguém”, salientou Vicentinho, ex-metalúrgico e atual Deputado Federal do PT-SP, autor da PEC 231/95 sobre a redução da jornada.

Na campanha lançada na última quarta-feira, vários deputados federais (maioria deles ligados ao Partido do Trabalhadores) manifestaram apoio e assinaram uma carta em que se comprometem pelo voto favorável a PEC da Redução da Jornada de Trabalho. “Estamos dando um grande passo com o apoio destes deputados, agora vamos mobilizar nossas bases para pressionar que este projeto seja votado ainda este ano”, declarou Valeir Ertle comerciário de Florianópolis e Secretário Adjunto de Organização Sindical da CUT Nacional.

Fonte: Silvia Medeiros – CUT – SC

Compartilhar

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.

dezenove + 9 =